Biblioteca da Escola E B 2,3 de Gualtar
Segunda-feira, 27 de Outubro de 2008
It´s Halloween time! BOO!

Click on the eyeballs to view a larger version.



publicado por BiblioGualtar às 19:00
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 24 de Outubro de 2008
Parabéns a todos!

 

  Durante o mês de Outubro, o concurso "Brincar aos Poemas" teve muitos concorrentes. Todos foram fantásticos!

Aqui estão alguns dos poemas apresentados; os restantes encontram-se expostos nos placards da BE e no dia 27, Dia Internacional das Bibliotecas Escolares, saber-se-á qual o poema que ganhou a "brincadeira".

Parabéns a todos.

 

           O Girassol                                            A Abelha
 Passa a vida a olhar para o sol!              Por que é que esta abelha
Gosta muito de o observar!                     Gosta assim tanto de ler?
Se tivesse boca, o girassol,                    Porque a professora manda
E se pudesse chegar ao sol,                  Ou será só por lazer?
Era capaz de o beijar.                            Eu penso que ela quer aprender.
               Teresa Silva – 5ºF                                            Alberto Antunes - 5ºE
 
        A Tulipa                                             O Nenúfar
 Ela usa um chapéu                             Ó meu lindo nenúfar, 
Vermelho como o amor                        Que mudas de cor
Por debaixo do chapéu                         Com o tempo do dia.
A tulipa tem outra cor.                          És amarelo de tarde
                                                          E, à noite,  vermelho, como eu queria!
  João Paulo Marques - 7º A                                                    Cristiana Ferreira - 5º F
      
         A Abelha                                                    O Dente-de-leão
 Por que é que esta abelha                             Se pensas que eles são
Tem um ar tão atrapalhado?                           Levezinhos com pena
Porque tem muito calor?                                Olha que tu estás correcto.
Porque não encontra flor,                               Vês aquele dente-de-leão
Ou porque perdeu o namorado?                      Armado em avião        
                                                                   Ali,naquele abeto?
      Teresa Silva - 5ºF                                       José Rui Gomes - 7ºA                      
                                          A Pedrinha - erva daninha
                                  Sou uma pedrinha,
                                   Nem princesa nem rainha.
                                   Nem tenho terra nem mar,
                                   Nem ninguém para me apoiar.
                                   Todos me calcam,
                                   Desde o carro ao camião.
                                   Sei que sou menosprezada,
                                   Porque não sirvo para nada.
                                   Mas a culpa não é minha
                                   De ser uma pobre pedrinha.
                                   Deram-me um pontapé,
                                   Para me complicar a vida.
                                   Mas isto não fica assim,
                                   Vamos ver quem ri por fim.
                                   Nem princesa nem rainha,
                                   Sou uma pequena pedrinha.
                                                                  Ana Isabel Batista - 8ºE
                                   A Apanha-moscas                                         
Do que ela mais gosta                        A menina vegetariana                             
É de uma ervinha                               Estava mesmo deseperada .      
Mas, como não havia,                        Até moscas comia!         
Teve de comer                                   À colherada!
Uma mosquinha.                                Pois não tinha mais nada.
                                                                                                              Catarina Jantarada - 7ºA
                                                 O Alexandre
De que anda o Alexandre                             Ou andará à procura
À procura na biblioteca?                               De umas folhas para arrancar,
Duma aventura de terror,                              Para destruir, ou sujar,
Dum livro, ou de amor                                  Para molhar, para colorir,
Para o alegrar?                                           Ou apenas para ler?
                                                                                                      João Dourado Domingues – 8ºA

 



publicado por BiblioGualtar às 19:55
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 22 de Outubro de 2008
O Pai do Teatro Português

Gil Vicente apresenta-se .Vamos lá conhecê-lo.

 

Eu, Gil Vicente, apresento-me
 
 
Ah… Consegui finalmente aquilo que sempre quis: livrar-me dos malditos daqueles reis, D. Manuel e D. João III. Estava a ver que não conseguia… A sério, nunca vi pessoas tão arrogantes, ricas e falsas como eles, assim como quase todas as outras pessoas que iam ver as minhas peças de teatro; realmente, nunca vi nada igual.
Bem, ainda não me apresentei. Sou Gil Vicente, o famoso dramaturgo dos séculos XV e XVI, do período pré-clássico da Língua Portuguesa. Sou considerado o Pai do Teatro Português. Ninguém sabe exactamente quando nasci, mas “morri” em 1536, no ano em que surgiu a Inquisição.
Era eu que animava dias e noites, no tempo dos reis D. Manuel e seu filho D. João III, com as minhas  peças. Nessa época, quase nada na sociedade estava bem, e eu, nos meus escritos, criticava-a. No entanto, estas tinham que distrair os espectadores, fazê-los rir, de forma a que estes não ficassem ofendidos com as críticas e não me mandassem prender.
Quando soube que ia surgir a Inquisição que queimava vivos todos aqueles que eram contra o Clero ou Deus, tive que tomar medidas “drásticas”. Peguei em todos as minhas coisas, fugi da capital e fui para o interior, onde ninguém me encontrasse. Com certeza que deram pela minha falta, e, não me encontrando em parte alguma, consideraram-me como morto.
Felizmente fui um dos poucos que sobreviveu à Inquisição, passando um final de vida sossegado e calmo numa casa humilde, no meio do monte.
Nunca estranharam o facto de eu ter “morrido” no mesmo ano em que surgiu a Inquisição?
 
 
                                                     António José  9ºA


publicado por BiblioGualtar às 20:39
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 1 de Outubro de 2008
Para ler ... e meditar.

 

A turma E do 8º ano, preocupada com as questões da aquecimento global e do ambiente em geral, decidiu escrever uma carta às pessoas sensíveis e ponderadas.
 
 
Braga, 01 de Outubro de 2008
 
        Amigos poetas,
               
        A Natureza é bela! As plantas são os pulmões do nosso planeta. Sem elas não teríamos oxigénio para viver.
Existem pessoas sem princípios, sem educação, que ainda não perceberam como é importante viver em harmonia com a Natureza. Nós somos sensíveis às questões ambientais, mas gostaríamos que, cada vez mais, existissem mais pessoas que tratassem o planeta como se fosse o seu lar. Como as grandes campanhas de sensibilização têm falhado, vimos, por este meio, pedir-vos que escrevam mais poemas sobre a importância do Meio Ambiente, para cativar as pessoas. As vossas palavras, às vezes tão doces e outras vezes tão duras, dão-nos força, esperança e coragem e despertam-nos para a realidade. Se escrevessem sobre este tema à vossa maneira, talvez os menos sensíveis parassem um bocadinho para pensar, para modificar maus hábitos.
Esperamos que recebam esta carta e se entusiasmem com a
nossa proposta.
 
                                                       Um grande abraço de amizade.
                                                                                Os alunos do 8ºE
 


publicado por BiblioGualtar às 15:36
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

"Os Loucos da Rua Mazur"....

O PRESENTE- é obrigatório...

OS 10 PRINCÍPIOS DA DIETA...

Este es el Prólogo - Fede...

Dia Mundial da Alimentaç...

Outubro é cor-de-rosa

Há uma geração que não de...

Os Portugueses na 1ª Guer...

Álvaro de Campos - CARNAV...

Novo livro de “Uma Aventu...

arquivos

Outubro 2017

Abril 2017

Fevereiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

links
subscrever feeds