Biblioteca da Escola E B 2,3 de Gualtar
Sexta-feira, 31 de Maio de 2013
LIVROS da SEMANA - De 3 a 7 de junho

Um novo herói, uma nova missão.

Ryan é o mais recente recruta da CHERUB. Tem apenas 12 anos, acabou a recruta há oito meses e está ainda muito verde. Foi destacado para a sua

 

primeira missão: tornar-se amigo de Ethan Aramov, um miúdo rico e mimado que vive na Califórnia e é neto da mulher que comanda, a partir do Quirguistão, um multimilionário império internacional de crime organizado.
Ryan não imagina que a sua primeira missão se vai tornar numa das mais importantes da história da CHERUB...


 Como é ser-se mãe e pai de 7 filhos? Já pensaram? 
Comandar um barco com tantos passageiros de feitios, gostos e personalidades diferentes? Nem sempre o mar está calmo e a Teté e o Mateus enfrentam neste livro uma forte tempestade. 
Todos temos os nossos problemas, mas por vezes é preciso apagá-los um pouco, limar-lhes as arestas para que um problema maior não se instale e alastre por toda a casa. A verdade é que no meio da tempestade acende-se sempre um farol e, como a união faz a força, a família Machado consegue dobrar o cabo das tormentas e descobrir um mar tranquilo de cores bonitas e suaves como os quadros da Teté. 
O futuro casamento da Maria, a exposição de retratos, o programa de televisão baseado num trabalho que a Mónica fez para o jornal da escola, o plano genial da Mariana para o fim de semana de Carnaval, e ainda a vida conturbada do Rafael, um mini jogador de futebol treinado pelo Miguel, são tudo peças do mesmo puzzle. 
Vamos construi-lo página por página? Toca a ler!

 



publicado por BiblioGualtar às 09:00
link do post | comentar | favorito
|

Dia Mundial Sem Tabaco




publicado por BiblioGualtar às 08:55
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 27 de Maio de 2013
LIVROS da SEMANA - De 27 a 31 de maio

O Greg está metido num grande sarilho. A escola foi vandalizada e ele é o principal suspeito. Mas o que é incrível é que ele está inocente. Ou pelo menos

em parte.
As autoridades estão a apertar o cerco. 
Entretanto, uma tempestade de neve chega de surpresa e a família fica impossibilitada de sair de casa. 
O Greg sabe que, quando a neve derreter, terá de sofrer as consequências, mas haverá algum castigo pior do que ficar fechado em casa com a família durante as férias?



Norman é um personagem criado por Jonathan Meres, baseado no típico rapaz adolescente a quem a vida nunca sorri. Neste primeiro volume que inaugura a colecção dedicada ao dia-a-dia do Norman (The World of Norm, na edição original), são muitas as desventuras caricatas deste adolescente de treze anos depois de a família começar a enfrentar problemas financeiros. Além da mudança para uma casa muito mais pequena, mais distante do antigo bairro e do facto de o pai ter sido despedido do seu emprego, o orçamento para extras encurtou bastante, logo agora que o Norm precisava de uma nova bicicleta. Tudo isto agravado pelo seu superlativo desleixo e a sua óbvia falta de sorte, tornam a vida do Norm numa sucessão de acontecimentos trágico-cómicos. A experiência de Jonathan Meres enquanto actor de comédia, aliada aos divertidos desenhos, permitem aos leitores rir ininterruptamente ao visualizar as cenas hilariantes da vida do Norman - o verdadeiro "cromo".



publicado por BiblioGualtar às 13:36
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 17 de Maio de 2013
As bibliotecas - Valter Hugo Mãe (Jornal de Letras, 15 a 28 de maio)

As bibliotecas são como aeroportos. São lugares de viagem. Entramos numa biblioteca como quem  está a ponto de partir. E nada é pequeno quando tem uma biblioteca. O mundo inteiro pode ser convocado à força dos seus livros.

Todas as coisas do mundo podem ser chamadas a comparecer à força das palavras, para existirem diante de nós como matéria da imaginação. As bibliotecas são do tamanho do infinito e sabem toda a maravilha.

Os livros são família direta dos aviões, dos tapetes-voadores ou dos pássaros. Os livros são da família das nuvens e, como elas, sabem tornar-se invisíveis enquanto pairam, como se  entrassem para dentro do próprio ar, a ver o que existe dentro do ar que não se vê.

O leitor entra com o livro para dentro do ar que não se vê.

Com um pequeno sopro, o leitor muda para o outro lado do mundo ou para outro mundo, do avesso da realidade até ao avesso do tempo. Fora de tudo, fora da biblioteca. As bibliotecas não se importam que os leitores se sintam fora das

bibliotecas.

Os livros são toupeiras, são minhocas, eles são troncos caídos, maduros de uma longevidade inteira, os livros escutam e falam ininterruptamente. São estações do ano, dos anos todos, desde o princípio do mundo e já do fim do mundo. Os livros esticam e tapam furos na cabeça. Eles sabem chover e fazer escuro, casam filhos e coram, choram, imaginam que mais tarde voltam ao início, a serem como crianças. Os livros têm crianças ao dependuro e giram como carrosséis para as ouvir rir. Os livros têm olhos para todos os lados e bisbilhotam o cima e baixo, o esquerda e direita de cada coisa ou coisa nenhuma. Nem pestanejam de tanta curiosidade. Querem ver e contar. Os livros é que contam.

As bibliotecas só aparentemente são casas sossegadas. O sossego das bibliotecas é a ingenuidade dos incautos. Porque elas são como festas ou batalhas contínuas e soam trombetas a cada instante e há sempre quem discuta com fervor o futuro, quem exija o futuro e seja destemido, merecedor da nossa confiança e da nossa fé.

Adianta pouco manter os livros de capas fechadas. Eles têm memória absoluta. Vão saber esperar até que alguém os abra.

Até que alguém se encoraje, esfaime, amadureça, reclame direito de seguir maior viagem. E vão oferecer tudo, uma e outra vez, generosos e abundantes. Os livros oferecem o que são, o que sabem, uma e outra vez, sem refilarem, sem se aborrecerem de encontrar infinitamente pessoas novas. Os livros gostam de pessoas que nunca pegaram neles, porque têm surpresas para elas e divertem-se a surpreender. Os livros divertem-se.

As pessoas que se tornam leitoras ficam logo mais espertas, até andam três centímetros mais altas, que é efeito de um orgulho saudável de estarem a fazer a coisa certa. Ler livros é uma coisa muito certa. As pessoas percebem isso imediatamente. E os livros não têm vertigens. Eles gostam de pessoas baixas e gostam de pessoas que ficam mais altas.

Depois da leitura de muitos livros pode ficar-se com uma inteligência admirável e a cabeça acende como se tivesse uma lâmpada dentro. É muito engraçado. Às vezes, os leitores são tão obstinados com a leitura que nem acendem a luz. Ficam com o livro perto do nariz a correr as linhas muito lentamente para serem capazes de ler. Os leitores mesmo inteligentes aprendem a ler tudo. Leem claramente o humor dos outros, a ansiedade, conseguem ler as tempestades e o silêncio, mesmo que seja um silêncio muito baixinho. Os melhores leitores, um dia, até aprendem a escrever. Aprendem a escrever livros. São como pessoas com palavras por fruto, como as árvores que dão maçãs ou laranjas. Dão palavras que fazem sentido e contam coisas às outras pessoas. Já vi gente a sair de dentro dos livros. Gente atarefada até com mudar o mundo. Saem das palavras e vestem-se à pressa com roupas diversas e vão porta fora a explicar descobertas importantes. Muita gente que vive dentro dos livros tem assuntos importantes para tratar. Precisamos de estar sempre atentos. Às vezes, compete-nos dar despacho. Sim, compete-nos pôr mãos ao trabalho. Mas sem medo. O trabalho que temos pela escola dos livros é normalmente um modo de ficarmos felizes.

Este texto é um abraço especial à biblioteca da escola Frei João, de Vila do Conde, e à biblioteca do Centro Escolar de Barqueiros, concelho de Barcelos. As pessoas que ali leem livros saberão porquê. Não deixa também de ser um abraço a todas as demais bibliotecas e bibliotecários, na esperança de que nada nos convença de que a ignorância ou o fim da fantasia e do sonho são o melhor para nós e para os nossos. Ler é esperar por melhor. 



publicado por BiblioGualtar às 16:00
link do post | comentar | favorito
|

LIVROS da SEMANA - De 20 a 24 de maio

No Pandemonium, a discoteca da moda de Nova Iorque, Clary segue um rapaz muito giro de cabelo azul até que assiste à sua morte às mãos de três

jovens cobertos de estranhas tatuagens. Desde essa noite, o seu destino une-se aos dos três Caçadores de Sombras e, sobretudo, ao de Jace, um rapaz com cara de anjo, mas com tendência a agir como um idiota…



A Margarida vai para o 5.º ano numa nova escola e, de repente, é lançada num mundo de gente crescida, ou quase… Mas depressa vê ruir todas as expectativas: o recreio é grande demais, os professores são muitos e deixam-na baralhada, não conhece praticamente ninguém. E, para a sexta filha da família Machado, o pior vai ser a troça por parte de certos colegas. Ao longo do 1.º período, a Margarida percebe que odeia a nova escola e que a única hipótese que lhe resta é fugir, preparando uma embrulhada de tal forma tola, que nem ela própria sabe como resolver: zanga-se com a Laurinha, a sua melhor amiga de sempre; a Alice adoece; desaparecem-lhe todas as coisas do cacifo. Tudo acontece à pobre Margarida, que até tem o azar de, num dia especial, ver a sua cabeça habitada não só por pensamentos, mas por uma colónia inteira de piolhos que a obrigam a mudar de planos. No meio de um caso de detetives, a Margarida tem de aprender a viver com um feitiço desconhecido que de repente se vira contra o feiticeiro e a faz perceber o significado da palavra saudade.



publicado por BiblioGualtar às 15:48
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 10 de Maio de 2013
Direitos de Autor

 



publicado por BiblioGualtar às 17:59
link do post | comentar | favorito
|

LIVROS da SEMANA - De 13 a 17 de maio

Lina é proprietária de uma padaria Gourmet em Tulsa mas, infelizmente, o negócio não está a correr como esperado e ela precisa de um plano. Quando tropeça, acidentalmente, num livro de culinária italiana da deusa, Lina não consegue deixar de pensar que encontrou a solução para os problemas, mesmo que isso implique invocar uma deusa para salvar o seu negócio. Em breve, Lina encontra-se cara a cara com Deméter, que tem o seu próprio plano. Ela propõe que Lina troque a alma com Perséfone, a deusa da primavera, que irá dar uma nova vida à padaria. Em troca Lina terá que repor a ordem no submundo. 

Depois de ocupar o corpo de encantadora Perséfone, Lina, cujos problemas eram massa azeda e segundos encontros, tem agora assuntos maiores em mãos, como levar a primavera ao mundo dos espíritos. Mas, quando o belo e perigoso Hades acende uma chama no seu coração, Linda não pode deixar de se interrogar se o senhor do submundo não será o homem dos seus sonhos…


«Este livro nasceu como a crónica de uma viagem realizada por dois amigos, mas o tempo, as mudanças violentas da economia e a voracidade dos triunfadores transformaram-no num livro de notícias póstumas, no romance de uma região desaparecida. Nada do que vimos existe tal como o conhecemos. De certo modo fomos os afortunados que presenciaram o fim de uma época no Sul do Mundo. Desse Sul que é a minha força e a minha memória. Desse Sul a que me aferro com todo o amor e com toda a raiva. Estas são, pois, as últimas notícias do Sul.»
Luis Sepúlveda



publicado por BiblioGualtar às 17:47
link do post | comentar | favorito
|

Ler em ecrã: como evitar problemas para os olhos

Num interessante artigo dolainformacion.com, o oftalmologista Luis Fernández-Vega dá alguns conselhos para evitar problemas na vista em resultado do

uso excessivo de ecrãs. Entre as preciosas dicas, destacam-se:

  1. Manter uma distância de 30 centímetros do dispositivo.
  2. A direção do nosso olhar deve ser de cima para baixo para poder levantar os olhos e ver ao longe.
  3. Uma boa iluminação focal e pouca iluminação ambiente .
  4. Escolher o contraste e o tamanho de letra adequado às nossas necessidades.
  5. Evitar ambientes com vento, demasiado secos ou poluídos

 in http://lerebooks.wordpress.com



publicado por BiblioGualtar às 17:41
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 3 de Maio de 2013
Dia da MÃE

                                                        

 

Este dia tem a forma

de um beijo e de um abraço,

mesmo quando a mãe chega

vergada pelo cansaço

e lhe pomos ao pescoço

o colar do nosso afecto

que, mesmo não sendo de ouro,

será sempre o predilecto.

Este dia tem a forma

de borboleta e de flor

e a doçura da carícia

que tempera o nosso amor.

 

José Jorge Letria, O Livro dos Dias

 

Ilustração de Selda Marlin Soganci



publicado por BiblioGualtar às 16:48
link do post | comentar | favorito
|

CONCURSO DE LEITURA - 3º PERÍODO

Dia 30 de maio de 2013

(9h55 ou 16h40)

 

                        Contamos contigo! 

 




publicado por BiblioGualtar às 16:16
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

Há uma geração que não de...

Os Portugueses na 1ª Guer...

Álvaro de Campos - CARNAV...

Novo livro de “Uma Aventu...

As palavras mais pesquisa...

Há três palavras portugue...

FELIZ NATAL

5 de dezembro- Dia de S. ...

20 anos de RBE

Bibliotecas são espaços p...

arquivos

Abril 2017

Fevereiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

links
subscrever feeds